Escolha uma Página

No universo da construção civil, o vidro é palavra de sentido parecido de modernice e airosidade. Não é à toa que a maior parte dos designers e arquitetos o incorpora em seus concepções. Porém permitir airosidade a um local não é a única ofício do vidro. Ele similarmente pode ser empregado para ajudar as indivíduos, como é caso do guarda-corpo de vidro, que pode ser aplicado em escadas, bordas de sacadas, rampas, passarelas e mezaninos.
Pretende entender o que é um guarda-corpo, leia nosso texto “Guarda-corpo: dúvidas comuns”.

Porém para, realmente, ajudar as indivíduos e evitar acidentes, os guarda-corpos de vidro precisam ser produzidos e instalados de acordo com a conduta ABNT NBR 14.718, fabricada em 2001 e revisada em 2008. Esta conduta cita as demandas que os guarda-corpos precisam executar, tanto no que diz respeito aos materiais que os compõem, quanto a sua instalação, para serem considerados completamente seguros.

A seguir, falaremos sobre as demandas relacionadas especialmente aos guarda-corpos feitos de vidro. Confira! As áreas em que a conduta NBR 14.718 se aplica Antes de tudo, é fundamental advertir que as demandas da conduta NBR 14.718 se aplicam à instalação do guarda-corpo de vidro em áreas de consumo privativo e de consumo comum ou bonde:

Áreas de consumo privativo:

escadas, varandas e mezaninos de edificações residenciais ou comerciais, com acesso exclusivo; Áreas de consumo bonde: áreas comuns de edifícios, hospitais, museus, centro comercial centers, cinemas, aeroportos, rodoviárias, etc, com acesso aberto. A NBR 14.718 não se aplica a guarda-corpos instaladas em passarelas situadas sobre ruas e avenidas e em locais com grande acotovelamento pública, como ginásios de esporte.

As demandas voltadas para guarda-corpos de vidro Abaixo, listamos as demandas relacionadas ao guarda-corpo de vidro: Apenas são capazes de ser usados vidros que estejam em aceitação com a NBR 7199 e que atendam aos requisitos de defensão citados na seção 5 da NBR 14.718; A consistência das chapas de vidro precisa estar de acordo com a NBR 7199 e similarmente reparar aos requisitos de defensão citados na seção 5 da NBR 14.718;

As chapas de vidro precisam ser instaladas de acordo com as orientações prescritas na NBR 7199; É vedada a uso de massas à base de gesso e óleo para a fixação do vidro; Os rebaixos precisam estar isentos de chão, gordura, enferrujamento, umidade e outras impurezas; É vedado o contato das bordas das chapas entre si, com peças metálicas ou com a alvenaria; As guarnições de borracha ou elastoméricas em EPDM para cerca precisam reparar à conduta NBR 13756 e se acertar fácil às dilatações, deformações e vibrações resultantes das aquilo que se faz mecânicas ou das variações de temperatura.

Elas não precisam escoar nem sequer assentar e abraçar adequadamente ao vidro e ao caixilho. As guarnições de borracha são capazes de ser colocadas juntamente com mais materiais de calafetação, porém a partir de que eles sejam compatíveis.

No caso dos vidros laminados, as guarnições, os calços e os mais componentes precisam ser neutros em correlação aos materiais componentes do vidro laminado; Recomenda-se a uso de baguetes na rosto interna do guarda-corpo de vidro, tanto para favorecer a preservação, como para permitir mais segurança. Dicas do que realizar ao abrigar o guarda-corpo de vidro

1. Use somente o vidro acertado

Eles precisam ser laminados ou aramados. No caso de quebra, o vão permanece cheio, diminuindo os riscas de queda. O laminado, a propósito, pode ser composto por vidros temperados, nos quais são mais resistentes. Isto vale especialmente para instalações que exigirem furos nos vidros (no caso de botões e da maior parte dos modelos de torres).

2. Fique ligado á altura

A conduta de guarda-corpos, NBR14718, diz que a distância da parte superior dos guarda-corpos até o ponto mais alto do espaço com circulação de indivíduo precisa ser de no mínimo, 1m. Porém fique ligado, consulte a legislação do Corpo de Bombeiros de sua região antes de abalizar a altura. Em algumas aplicações, a altura mínima acertada na adestramento técnica deles é maior do que a apontada pela conduta técnica.

3. Evite o atrito dos componentes

Use constantemente material intercalário (como borracha) para evitar o contato direto entre o vidro e as peças metálicas dos guarda-corpos, o andar ou mais vidros.

4. Isole o local da instalação

A setor abaixo do lugar em que os guarda-corpos serão instalados precisa ser isolada, para evitar acidentes.

5. Os EPIs são indispensáveis

Atenção no momento em que for colocar a mão na massa: os instaladores precisam utilizar equipamentos de proteção característico (EPIs), como óculos de segurança, gratificação, anticorte, protetores auriculares e botas com biqueira de aço. Se houver perigo de queda, use similarmente anel de segurança. c

Gostou? Agora que você já sabe todas as dicas, fique ligado ao realizar a instalação do guarda-corpo de vidro aí na sua casa! Ficou com qualquer confusão? Escreva-a nos comentários para que possamos lhe auxiliar. Aproveite similarmente para conhecer os nossos guarda-corpos! Conheça a tecnologia em vidro da Vidraçaria em BH PS!

%d blogueiros gostam disto: