Escolha uma Página

Ao admitir a vidraçaria não é apenas o esforço que precisa ser levado em conta. Atente-se! Usados especialmente para permitir agilidade, acetato e grandiosidade aos espaços, vidros e espelhos estão cada vez mais existentes no design de interiores.

Eles são aproveitados de muitas comportamento em acabamentos, painéis de fecho, detalhes decorativos e material. Há várias vidraçarias no mercado que oferecem de vidros simples aos de segurança, recomendados para guarda-corpos e escadas.

Porém na momento de adotar o abastecedor, é fundamental ingerir alguns afazeres para evitar complicações e acidentes consecutivos do consumo de materiais de baixa qualidade ou instalados incorretamente.

Veja a seguir algumas dicas para realizar uma adquirição bem sucedida.

1 – Admissão errada: atrasos, vidros fora da arrolamento, aberturas na instalação. Estes são alguns complicações comuns no momento em que se executa com vidraceiros pouco experientes ou descomprometidos com o serviço. A entrega de vidros com consistência menor do que a contratada é outra abertura baixo.

Dependendo da aplicação, peças bastante finas são capazes de não aceitar seu próprio peso e arrebentar. Então, assine um acordo para realizar possíveis cobranças com segurança e cheque se as especificações estabelecidas pelo alarife e/ ou engenheiro foram de modo correto atendidas.

2 – Evitando o “abafador por lebre”: na momento do abrigo do vidro, é fundamental examinar a sua consistência, bem como aferir se o acabamento e a coloração do material são condizentes com o acertado. “Montar com a análise de um alarife, que possui mais entendimento técnico, é fundamental”, acarreta a arquiteta Ivana Seabra.

Entretanto, ela explica que, um bom vidraceiro é capaz de aconselhar o seu cliente quanto ao produto mais recomendado para cada aplicação e que há, similarmente, equipamentos importantes para entender, por adágio, se o vidro é, de feito, contido.

3 – Aquisição de confiabilidade: para obter uma vidraçaria de confiabilidade e com bons profissionais, nada melhor do que a recomendação de quem já testou o serviço.

De forma maior parte, arquitetos e designers de interiores contem uma listagem de companhias com as quais vale a pena realizar negócio. Similarmente é possível aconselhar-se a internet e afirmar se há várias reclamações sobre a empresa em abacaxi. É aconselhável, por fim, aferir o tempo de mercado da empresa e o seu portfólio.

4 – Vidro de qualidade: a berço do vidro é um agente fundamental para avaliar sua qualidade. Geralmente, fornecedores tradicionais, com anos de determinação, preserva a ótima origem de seus itens para que não sejam desprestigiados ante o mercado. Na momento de acarear promessas não foque somente no preço.

Por adágio, os temperados, similarmente conhecidos como vidros de segurança, precisam ter uma reconhecimento indelével do fabricante impressa na chapa. Além do mais, fornecedores de confiabilidade frequentemente abrange comprovação do Inmetro ou autenticação ISO 9001, então, atente-se!

5 – Complicações na instalação: de pouco adianta um produto de qualidade se a instalação não for adequada. Um projeto de andamento, com informações sobre os acessórios, peças de ancoragem, perfis e cerca é essencial, especificamente em aplicações complexas, como fechamentos de varandas e boxes de banheiros.

Então: canhão as especificações detalhadas e o orientação para um engenheiro civil e/ou um alarife. Para não ter surpresas, no entanto, certifique-se da apreciação profissional do instalador.

6 – Espelhos: no caso dos espelhos, a qualidade é essencial para evitar que, passados poucos meses, a canhão comece a abacinar ou a ficar manchada. Os fornecedores mais conceituados similarmente costumam entregar marcas gravadas no costa das placas, identificando o fabricante e o chave de rastreabilidade.

Nos últimos anos, o acabamento técnico garantiu a fabricação de superfícies mais resistentes a manchas, a riscas e arranhões, esses próprios para consumo em tampos de alimentação, aparadores, blindagem de paredes, etc..

7 – Tipos de vidros: vidro não é tudo aproximado. Além da consistência, da coloração e do acabamento (bisotado, impresso, jateado, etc.), há diferenças em correlação à defensão, à arqueadura e a variações de temperatura.

Dessa maneira, alguns são apenas decorativos e mais, são capazes de abarcar “estruturas”, como fechamentos de aparência. O vidro contido é um dos mais usados visto que, em caso de quebra, se fragmenta em pequenos pedaços de bordas pouco cortantes.

Em concepções de interiores, o vidro “extraclear” vem sendo bem chamado, visto que não apresenta o acento esverdeado comum aos vidros incolores e transparentes convencionais.

8 – Preservação: o consumidor precisa ser orientado pela vidraçaria sobre a melhor maneira de cumprir a preservação periódica, bem como sobre os afazeres e limitações dos itens fornecidos.

De forma maior parte, deve-se evitar a aplicação de itens abrasivos (lixa e palhas de aço) e ácidos sobre as superfícies. Comumente, a combinação “milagrosa” de água e abluente ambíguo acontece conta do advertência ou indicam-se os itens específicos para higienização de análogo material.

O atenção para essas duas chaves de higienização é: use constantemente esponjas, escovas e panos macios, constantemente retire por completo as substâncias higienizadoras e seque a superfícies.

Entre em contato com a Vidraçaria BH e solicite orçamento

%d blogueiros gostam disto: